alerta-amarelo-portugal-continental-em-risco-de-incendio

Notícias

Alerta amarelo: Portugal continental em risco de incêndio

4 min. 14.09.2020

Portugal continental vai ficar em alerta amarelo a partir de terça-feira, na sequência da última avaliação das condições meteorológicas feita pela Proteção Civil em função do risco de incêndios florestais, anunciou hoje a secretária de Estado da Administração Interna.

A secretária de Estado da Administração Interna anunciou hoje que a totalidade do território continental português vai ficar em alerta amarelo, a partir desta terça-feira, depois das previsões meteorológicas da Proteção Civil que indicam alta probabilidade de incêndio.

Em conferência de imprensa ao início da noite na sede da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), em Carnaxide, concelho de Oeiras (Lisboa), Patrícia Gaspar confirmou a situação.

A governante acrescentou que o país está a viver dias de complexidade em matéria de incêndios rurais, uma vez que, “praticamente durante oito dias, com todo o país em situação de alerta”, houve “inúmeras ocorrências”, precisamente “1.088 ocorrências de incêndios rurais”.

A secretária de Estado da Administração Interna considerou que estes são números quase inaceitáveis para as condições meteorológicas em Portugal.

Apesar de não adiantar mais detalhes sobre o modo como está a decorrer o combate ao incêndio de Proença-a-Nova, que deflagrou no domingo à tarde e alastrou aos concelhos de Oleiros e Castelo Branco, a secretária de Estado considerou que é complexo e que esta não é apenas uma ocorrência de combate a incêndio mas umao corrência da Proteção Civil, que tem envolvido dezenas de entidades.

Questionada sobre se há indícios criminosos na origem deste fogo, a secretária de Estado disse que ainda não é possível determinar as causas.

Em conferência de imprensa, o Comandante Operacional de Agrupamento Distrital do Centro Sul, Luís Belo Costa, disse que os bombeiros esperam conseguir dominar as chamas durante a madrugada de terça-feira.

Luís Belo Costa acrescentou que um pouco mais de 50% do perímetro está dominado, dos quais 30% já está consolidado com o apoio máquinas de rasto.

Para dar uma dimensão da grandeza de um fogo “muito grande”, numa avaliação ainda muito preliminar, o responsável pelas ações de combate acrescentou que as chamas já terão consumido uma área muito próxima dos 15 mil hectares, correspondente a cerca de 60 quilómetros de perímetro.

As maiores preocupações centram-se no concelho de Oleiros, embora existam ainda “um ou outro ponto quente” nos concelhos de Proença-a-Nova e Castelo Branco.

Das 33 pessoas que foram retiradas das suas habitações no concelho de Oleiros, Luís Belo Costa disse que o mais rápidamente possível vão regressar a suas casas e que as povoações que ainda estão na linha de fogo não motivam preocupação.

Apesar de o levantamento dos estragos ainda não ter sido feito, o comandante Luís Belo Costa disse que há a registar alguns barracões ardidos e uma casa de segunda habitação afetada.

Às 21:00, o incêndio estava a ser combatido por 1.027 operacionais, apoiados por 343 veículos.

No combate às chames, ao longo do dia também chegaram a estar cerca de 16 meios aéreos.

1 / 0
Pub - Ulahlah - 250-1
Auchan 250

Diário

famatv-logo

Tudo sobre Famalicão no seu e-mail

Subscreva a nossa newsletter
e acompanhe a atualidade famalicense.