dificuldades-nas-aulas-a-distancia-leva-professores-a-exaustao

Notícias

Dificuldades nas aulas à distância leva professores à exaustão

2 min. 06.05.2020

Depois de contactar professores de todo o país, o STOP (Sindicato de Todos os Professores) apresentou esta quarta feira alguns dados sobre os efeitos do ensino à distância, que começou em 16 de março quando as escolas foram encerradas.

A radiografia feita pelo STOP indica que “aumentou significativamente as diferenças no ensino entre escolas”, apesar do empenho e esforço de professores e encarregados de educação. Para o sindicato, o Ministério da Educação “não deu orientações precisas às escolas, o que consequentemente levou a diretrizes diferentes em cada Agrupamento de Escolas/Escolas Não Agrupadas”.

Desta forma, algumas escolas decidiram continuar os conteúdos que estavam a ser dados nas aulas presenciais, dando matéria nova, ao passo que noutras a opção foi fazer a revisão de matérias. Também houve casos em que a decisão sobre o que fazer ficou a cargo de cada professor, contou o sindicato.

O STOP também ouviu relatos de professores que admitiram ser cada vez mais difícil motivar os alunos para a aprendizagem: “De uma forma geral verificou-se uma maior desmotivação e uma menor atenção dos alunos”, disse o sindicado em comunicado.

As dificuldades de aprendizagem entre os alunos com necessidades educativas também foram referidas como um dos problemas do ensino à distância.

O STOP chamou ainda a atenção para o acréscimo de trabalho dos professores, que “aumentou brutalmente”, já que passou a ser preciso preparar aulas síncronas e assíncronas, elaborar, enviar e corrigir as atividades propostas, assim como responder às dúvidas de alunos e também encarregados de educação.

 “Neste contexto de pandemia/teletrabalho muitos docentes estão ainda mais perto da exaustão”, alertou.

Perante esta radiografia do ensino à distância, o STOP teme pela equidade no ensino, assim como alerta para uma avaliação injusta dos alunos e discrepâncias significativas de matérias lecionadas.

No que toca aos professores, o sindicato considerou que há uma “classe docente ainda mais exausta”, o que irá comprometer a sua saúde mas também a qualidade de ensino para os próximos anos letivos.

1 / 0
Pub - Ulahlah - 250-1
Auchan 250

Diário

famatv-logo

Tudo sobre Famalicão no seu e-mail

Subscreva a nossa newsletter
e acompanhe a atualidade famalicense.